Atos do senador norte-americano mostram suas segundas intenções

0
80

O senador norte-americano, Marco Rubio, formulou no dia 17 um projeto de lei, exigindo que o país exerça uma modificação na Lei de Autorização da Defesa Nacional, a fim de impedir a empresa chinesa Huawei de reivindicar taxas sobre sua propriedade intelectual usada por empresas norte-americanas.

A notícia surpreendeu todo o mundo, incluindo os internautas norte-americanos que o acham incrível. Um senador de um país que se chama protetor da propriedade intelectual pede modificação da lei para impedir a reinvindicação da taxas de propriedade intelectual às empresas do próprio país, o que simboliza claramente um roubo de propriedade intelectual e resultados de patentes de outros países.

Sendo uma personalidade radial anti-China, Rubio sempre acusa o país asiático de furtar resultados de propriedade intelectual dos EUA e a empresa Huawei de ser uma ameaça à segurança de seu país. Quando a Huawei reivindica taxas de propriedade intelectual às empresas que incluem Verizon, operadora de telecomunicação dos EUA, Rubio refuta a empresa chinesa chamando-a de “malandra de patente”. Os atos de Rubio mostram que os EUA têm dois pesos e duas medidas quando o assunto é propriedade intelectual de empresas domésticas e estrangeiras. Quando as empresas estrangeiras usam propriedades intelectuais norte-americanas, os EUA destacam a importância da proteção da propriedade intelectual, porém as impedem de solicitar tributação em cima de suas patentes usadas por empresas norte-americanas. Aos olhos de pessoas como Rubio, a proteção de propriedade intelectual é uma ferramenta e podem decidir quando e como usá-la. O projeto de lei formulado por Rubio realmente afetou os EUA.

Rubio sempre refuta a China com vários motivos e meios além da propriedade intelectual, promovendo a “Lei de Viagem para Taiwan”, pedindo ao governo norte-americano que não compre equipamentos chineses, apelando para a expulsão dos Institutos Confúcio dos EUA e acusando a China de problemas de direitos humanos sem fundamentos. O Washington Post, jornal norte-americano, qualificou-o como um dos críticos mais ruidosos contra a China.

De fato, Rubio quer formar uma imagem da China como o jornal disse. Ele tem grande ambição política, até se candidatou à presidência em 2016, porém falhou nas eleições preliminares. Após o fracasso, ele sempre quer chamar a atenção do público criticando a China. Porém, os atos nefastos de Rubio trazem a realidade à tona: o que ele fez parece patriota, mas no final das contas, afetou sim o seu país. Ele está afetando os interesses do povo norte-americano por causa de seu egoísmo e cada vez mais pessoas vão conhecer sua verdadeira ambição.

Comentarista: Sheng Yuhong

Tradução: Li Jing

Revisão: Gabriela Netto

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor digite o seu nome