Comentário: China dedica-se à redução do deficit de governança global

0
256

Foi realizado nesta segunda-feira (16) em Beijing um seminário internacional que tem como tema “China e o Mundo na Nova Era”. Os políticos, intelectuais e empresários provenientes de mais de 20 países trocaram opiniões sobre o significado do desenvolvimento da China para o mundo, além da construção da comunidade de futuro compartilhado da humanidade e do futuro da governança global. Diante do contexto internacional complicado, os esforços feitos pelo governo chinês na defesa do multilateralismo e na redução do deficit de governança global receberam elogios dos participantes da reunião.

No mundo atual, os diversos países são mais interconectados e interdependentes. Nenhum país do mundo pode enfrentar sozinho os desafios humanos. Até o momento, o valor comercial dos países membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) ocupa 98% do total global, sendo essencial para promover a liberalização e facilitação do comércio e investimento do globo.

Segundo o secretário-geral da OMC, Roberto Azevedo, se o mecanismo comercial multilateral for prejudicado, a economia mundial será gravemente impactada. A taxa do crescimento econômico global poderá diminuir 2,4%, acompanhado com redução de 60% dos negócios do mundo. Obviamente, o desenvolvimento do comércio global baseado em vantagem comparativa corresponde à tendência da globalização, sendo também uma força motriz importante para incentivar o aumento econômico global.

Entretanto, alguns países impulsionam o unilateralismo e o protecionismo com o objetivo de maximizar seus próprios interesses, o que prejudica o mecanismo de governança global e o multilateralismo. Diante da situação, a China, como um país responsável, apoia firmemente o mecanismo multilateral e o livre comércio, por isso propôs o conceito de construção da comunidade de futuro compartilhado da humanidade, visando impulsionar o desenvolvimento da governança global para uma direção mais justa e razoável.

No aspecto de redução do deficit da governança global, a China apresentou suas ideias e colocou-as em ação. A implementação da iniciativa do Cinturão e Rota é uma contribuição da China na promoção do multilateralismo e da cooperação internacional. Segundo um relatório publicado pelo Banco Mundial, a iniciativa ajudou cerca de 7,6 milhões de pessoas dos países participantes a sair da pobreza extrema. O crescimento comercial das nações concernentes foi de 2,8% a 9,7%.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Erasto Santos Cruz

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor digite o seu nome