Comentário: A verdade atrás das imprensas ocidentais

0
110

Uma notícia sobre a Síria repercutiu recentemente no mundo inteiro. Riam Dalati, produtor da BBC, confirmou que depois de seis meses de investigação, o vídeo sobre o “ataque químico” em Douma, Síria, em abril de 2018, foi totalmente falsificado. Anteriormente, a Rússia havia revelado os detalhes da produção deste vídeo, entretanto, logo depois de seu surgimento, EUA, Reino Unido e França iniciaram ataques aéreos sobre o pretexto de “ataque químico” filmado nesse vídeo.

Esse tipo de atitude das principais imprensas ocidentais não é raro, e nem de alguns políticos destes países. Dias atrás, alguma imprensa ocidental reportou que o músico uigur da China, Abdurehim Heyit, morreu na prisão enquanto ainda pagava sentença. O governo turco criticou a China por causa do assunto, mas um vídeo recente mostra que Heyit está vivo e com boa saúde. O representante do partido de oposição da Turquia, Adnan Akfirat, disse que isso é mentira da imprensa ocidental e que a imprensa turca perdeu a sua independência ao segui-la.

A verdade é a vida das notícias e da imprensa. Sem a verdade, perdem a credibilidade. Claro que os jornalistas ocidentais conhecem bem essa regra, mas alguns deles são da elite do mundo ocidental e suas reportagens refletem a sua própria visão de mundo. Por exemplo, em relação às reportagens sobre a China, eles sempre propagam ideias como “ameaça da China” ou “colapso da China”, sem relatar objetivamente a China verdadeira.

Voltamos ao vídeo falsificado sobre o “ataque químico” em Douma. A direção da BBC disse que as palavras de Riam Dalati representam a sua opinião pessoal, enquanto que outras imprensas ocidentais relevantes estão caladas mais uma vez sobre o caso.

Por isso, o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, comentou que a Rússia não está surpresa com o caso, e muitos políticos dos EUA e da Europa tentam se esquecer dos ataques de mísseis contra a Síria a fim de fugir das responsabilidades criminais, políticas e morais.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Erasto Santo Cruz

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor digite o seu nome